Você sabe a diferença entre orçamento e planejamento financeiro?

Entenda na prática como essas ferramentas funcionam e quais são suas diferenças

Talvez você ainda confunda orçamento e planejamento financeiro. Embora sejam termos correlacionados, que fazem parte de um mesmo universo, estamos falando de coisas bem diferentes.

De forma preliminar, podemos adiantar que o orçamento é uma simples previsão de receitas e despesas. Aplicado às finanças pessoais, o orçamento seria estimar quanto você dispõe em determinado mês para fazer frente aos seus gastos. Simples não é mesmo?

O planejamento financeiro, por outro lado, se refere a uma atividade de maior complexidade, que envolve organizar suas finanças com vistas a determinados objetivos. Quer saber mais como essa ferramenta funciona? Continue a leitura!

Orçamento x planejamento financeiro

Como destacado anteriormente, para obter seu orçamento basta prever quais serão suas receitas e despesas em determinado período. Para isso, basta um pouco de organização e uma ferramenta, como uma planilha, aplicativo ou agenda para registrar tudo.

Para o planejamento financeiro, esse esforço de organização deve ser mais minucioso, pois é preciso levantar informações como:

  • balanço patrimonial (listagem de todos os seus bens);
  • relação de dívidas (empréstimos, financiamentos, compras a prazos a perder de vista);
  • receita corrente (de quanto você dispõe em um mês normal?);
  • despesa corrente (qual a sua despesa em um mês normal?);
  • receita extraordinária (recurso inconstante, como 13° salário, venda de imóvel e afins);
  • despesa extraordinária (despesa inconstante, como férias em família, impostos e afins);
  • Investimentos.

É importante que todas essas informações estejam referenciadas de forma anual. Isto é, é preciso começar seu planejamento financeiro em meados de novembro, dezembro, para que em janeiro você já possa se organizar financeiramente para seguir o que foi inicialmente proposto. Além disso, é muito importante monitorar mês a mês sua execução.

Planejar para investir, poupar e viver melhor

Todo o esforço que envolve a elaboração de um planejamento financeiro serve para que você possa fazer bom uso dos recursos que dispõe e, assim, chegar a seus objetivos. Poupar para aposentadoria, por exemplo, pode ser um deles. Reformar sua casa pode ser outra.

E em tempos em que somos chamados todo o tempo a racionalizar recursos, é quase uma obrigação se valer dessas ferramentas. Tenha em vista que muitas famílias em situação de endividamento chegam a esta situação justamente por má gestão das finanças pessoais.

Ao não trabalhar com uma previsão de receitas e despesas, acabam incorrendo em gastos com os quais não podem arcar. Passados alguns meses, esse passivo costuma crescer numa proporção assustadora, devido a juros e multas.

Um exemplo prático da importância do planejamento financeiro é o custeio das despesas de início de ano. Nesse período, aparece uma verdadeira avalanche de contas a pagar, como IPTU, IPVA, material escolar, despesas em férias, entre outras.

Quem se organizou devidamente desde o final do ano anterior não deve ser pego de surpresa, pois tudo já estava previsto, havendo, se necessário, um fundo de reserva somente para atravessar esses meses iniciais sem contratempos.  

Por outro lado, quem subestimou a situação e encarou esse período como se fossem meses “normais”, sem despesas extraordinárias, teve problemas financeiros para ficar com todas as contas em dia.

Tags: consumo finanças planejamento financeiro